Viagens passadas, presentes e futuras

Buenos Aires - Terra dos Hermanos, do Dulce de Leche e do Bife de Chorizo

Buenos Aires já não é mais uma grande novidade e está longe de ser aquela pechincha que foi no passado, mas a capital Argentina continua sendo a queridinha de muitos brasileiros quando planejam uma viagem curta pela América do Sul, seja pela proximidade geográfica, seja pela comida maravilhosa.

A certeza que temos é a de uma viagem fácil de chegar, se comunicar e principalmente de achar bons restaurantes!

Por isso, Buenos Aires se torna uma opção muito atraente para quem deseja uma viagem mais curta ou uma escapadinha em um feriado.

Floraris Genérica, uma das principais atrações na cidade


Como chegar em Buenos Aires?

Chegar em Buenos Aires é muito fácil. Algumas companhias aéreas oferecem vôos diretos do Brasil para a capital Argentina, como por exemplo a Emirates, a Tam e a GOL.

Além disso, como a procura por vôos é frequente, as promoções de passagens também são. Caso Buenos Aires esteja na sua lista de próximos destinos, fique atento às diversas promoções e tenha um pouco de flexibilidade para conseguir preços melhores.

Dê preferência para os vôos com chegada no Aeroporto Jorge Newberry (Aeroparque), já que a distância até o Centro é de menos de 15km. Enquanto o outro aeroporto, Ezeiza (Aeroporto Internacional Ministro Pistarini), fica a 35km de distância.


Onde ficar em Buenos Aires?

Buenos Aires é uma cidade com atrativos distribuídos em diferentes regiões e possui diferentes opções de hospedagem para todos os gostos e bolsos. Mas vamos sugerir aqui os nossos bairros preferidos:
  • Retiro: é o finalzinho do Centro e a sua área mais nobre, ou seja, aqui você encontrará bons hotéis com preços bastante convidativos e próximos das principais atrações, sendo possível caminhar até diversos pontos turísticos e bons restaurantes. Geralmente, é uma opção com boa relação custo x benefício.
  • Recoleta: em nossa opinião, é o bairro com a melhor localização (está entre o Centro e Palermo) e é bem servida de transporte, o que facilita o acesso a outras partes da cidade. É um bairro bem residencial, bem mais bonito que o Centro, mas também conta com muitos bons restaurantes e opções de vida noturna.
  • Palermo: sem dúvidas é o bairro mais bonito de Buenos Aires! É bem arborizado, com muitos parques (o Jardim Japonês e o Rosedal ficam aqui), hotéis mais caros e luxuosos e com muitos restaurantes para apreciar. Em contrapartida, é o bairro mais distante das principais atrações turísticas e, com isso, o seu deslocamento será dificultado um pouco (a não ser que sempre use táxi). Recomendamos ficar em Palermo caso não esteja indo para a cidade pela primeira vez.
Para pesquisar bons hotéis na cidade, usamos sempre o Booking.com (clique aqui para visitar o site), que oferece muitas opções e conta com avaliações dos hóspedes para avaliar se o Hotel é realmente aquilo que promete. Além disso, em muitos casos, o site oferece a possibilidade de cancelamento gratuito da reserva, o que pode ser útil caso aconteça algum imprevisto ou caso você encontre um Hotel melhor ou mais barato de última hora. :)


A Livraria El Ateneo funciona em um antigo teatro e também é parada obrigatória na cidade


Quanto tempo ficar em Buenos Aires?

Essa pergunta depende principalmente do que você pretende fazer em Buenos Aires. Nossas sugestões de tempo variam de acordo com o seu interesse:
  • 3 dias: é a nossa sugestão mínima de tempo para quem vai à cidade pela primeira vez. Desde que você tenha realmente 3 dias completos, conseguirá ver todas as atrações mas ficará com o dia corrido e talvez alguns lugares ficarão para trás. Se você já conhece a cidade e quer apenas aproveitar, 3 dias já se torna uma ótima opção.
  • 4 dias: para nós, é o tempo ideal para conhecer Buenos Aires e apreciar a excelente gastronomia portenha sem ter que fazer "maraturismo".
  • 5 dias: com cinco dias na cidade, é possível conhecer as principais atrações com calma, incluir lugares menos turísticos no roteiro ou ainda aproveitar para fazer um bate-volta até Colônia do Sacramento no Uruguai!

Para quem tem mais tempo sobrando, Buenos Aires pode ser facilmente combinada com outras atrações ao sul do continente, o que pode fazer sua viagem ficar ainda mais interessante. Seguem nossas recomendações:
  • Buenos Aires + Montevidéu: 6 dias
  • Buenos Aires + Montevidéu + Punta del Este: 8 dias
  • Buenos Aires + Mendoza: 8 dias
  • Buenos Aires + Patagônia: 10 dias

Casa Rosada, a sede do governo Argentino


#Ficaadica!
  • Locomoção: 
Buenos Aires possui um sistema de metrô um pouco antigo e mal conservado, mas que te ajudará bastante no deslocamento. Caso não tenha metrô perto de onde você estiver, a malha de ônibus é eficiente e certamente te deixará mais próximo do seu local de interesse.

Além disso, os táxis não são caros em Buenos Aires e são uma boa opção para locomoção pela cidade, principalmente para quem estiver viajando em grupo. O táxi é uma forma prática e com um preço justo (por exemplo, pegamos um táxi do Retiro para Palermo e custou 80 pesos, cerca de 20 reais).


Por fim, Buenos Aires também conta com serviço do Uber e de outros aplicativos similares, que oferecem o serviço já conhecido em outras capitais mundiais com um preço mais acessível que o do táxi.

  • Alimentação:
Definitivamente, Buenos Aires não combina com dieta. Você simplesmente não pode sair de Buenos Aires sem provar os tradicionalíssimos cortes de carnes argentinas, como o Ojo de Bife e o Bife de Chorizo, as famosas empanadas de carne suave ou picante, os incríveis alfajores (há dezenas de opções diferentes, mas o nosso preferido é o da marca Cachafaz) e o doce de leite maravilhoso (nesse caso, recomendamos o doce de leite do Freddo, simplesmente sensacional).

Mesmo para quem não come carne, os restaurantes geralmente disponibilizam opções de pratos de frango, peixe ou massa. Há ainda diversas opções de restaurantes especializados em culinária italiana, japonesa, árabe etc. Ou seja, será fácil encontrar o que comer para todos os gostos.

Mas atenção, quem foi a Buenos Aires há alguns anos atrás poderá se assustar com os preços praticados atualmente nos restaurantes da cidade. Se antes era possível comer muito bem em um excelente restaurante pagando muito pouco, isso infelizmente já não é mais verdade. 
Está tudo muito caro! Para terem ideia: um café expresso custa cerca de 40 pesos, um sanduíche tinha o preço de 160 pesos, uma oferta no Mc Donalds por 140 pesos e almoços em restaurantes razoáves por pelo menos 300 pesos por pessoa, sem contar com bebida alcoólica!

  • Câmbio:
Fomos para Buenos Aires em junho de 2017 e definitivamente não compensava comprar pesos argentinos no Brasil. A cotação na DG Câmbio (nossa casa de câmbio preferida no Rio de Janeiro) pagava 3,44 pesos argentinos para cada real (contra 4,20 pesos oferecidos nas casas de câmbio em Buenos Aires).

Faça um cálculo aproximado de quando irá gastar por dia e troque o dinheiro aos poucos, já que voltar com pesos para o Brasil será sinônimo de perder dinheiro no câmbio reverso.

Por isso, leve Reais e deixe para trocar por Pesos no Banco de La Nación quando chegar no aeroporto (lembrando que o Banco fica na parte de dentro, antes de desembarcar).

Caso não queira enfrentar fila ou esteja muito cansado para trocar dinheiro, não precisa se desesperar! Os táxis do aeroporto aceitam o pagamento em Reais ou em cartão de crédito (no dia que chegamos, a taxa era exatamente a mesma oferecida pelo câmbio oficial - R$ 1,00 = 4,20 pesos).

Ainda, algumas lojas aceitavam receber o valor em Reais e ainda tinham uma cotação melhor que aquelas oferecidas no câmbio oficial. Na ocasião, utilizavam a taxa de R$ 1,00 = 4,50 pesos argentinos.




Por mais que Buenos Aires não seja um destino atualmente muito barato, ainda assim é uma cidade muito atraente, com uma culinária espetacular e uma ótima opção para uma viagem rápida!

No próximo post vamos dar uma sugestão de roteiro para curtir a Capital Argentina e aproveitar ao máximo o tempo na cidade. Para saber mais, não deixe de conferir nosso próximo post e Vamos pelo Mundo! :)





Booking.com


Compartilhe:

Um comentário:

  1. Já fui algumas vezes e ainda tenho vontade de voltar. Dei sorte de ter pegado uma época que o turismo lá estava bem em conta para brasileiros.

    ResponderExcluir