Viagens passadas, presentes e futuras

Girona - Bate-volta de Barcelona

Como dissemos no post inicial sobre nossa viagem à Espanha (clique aqui para ler), passamos 7 dias em Barcelona, o que nos proporcionou tempo suficiente para conhecê-la e ainda fazer um bate-volta até a cidade de Girona, uma cidade medieval super charmosa e a menos de 1 hora de trem da capital catalã!


Casario típico de Girona à beira do rio

Como chegar e quanto tempo ficar em Girona?
A forma mais fácil de chegar na cidade é usando os trens de alta velocidade espanhóis e a viagem dura cerca de 40 minutos, ou seja, a cidade é perfeita para um bate-volta!

Os trens partem da estação Barcelona Sants (que pode ser facilmente acessada pelo metrô, na estação Sants Estació) e os tickets podem ser comprados na hora em guichês de auto-atendimento ou antecipadamente pelo site da Renfe.

Nós tentamos a sorte e deixamos para comprar os tickets de trem direto na estação e foi muito tranquilo! Compramos a passagem de ida e volta por 25,60 euros por pessoa (valores de abril/16). Comprando as passagens de ida e volta juntas você terá um desconto! :)

Nosso trem de ida saiu de Barcelona por volta de 10h da manhã e saímos de Girona pouco depois das 18h. Como a cidade é pequena, achamos que o tempo foi suficiente para conhecer as principais atrações sem problemas.


O que fazer em Girona?
A estação de trens de Girona se localiza na parte nova da cidade e para chegar ao centro histórico será necessário caminhar cerca de 15 minutos.


Estação de trens de Girona
Assim que saímos da estação de trens, caminhamos até o centro de informações para turistas (para não se perder: Carrer Berenguer Carnicer, 3 - 17001, fica bem ao lado de um viaduto, do outro lado do Parque de la Devesa) para conseguir um mapa e algumas dicas do que ver e fazer em Girona. Todo o material distribuído é gratuito e fomos super bem atendidos! :)

Trajeto da estação de trem até o centro de informações turísticas

Girona é uma cidade medieval fundada há mais de 2 mil anos e é dividida em 4 partes principais: La Força Vella (da época da fundação de Girona, até o ano 1.000 d.C), El call - Barrio Judio, El Ensanche Medieval (do ano 1.000 d.C. até o século XV) e La ciudad moderna y contemporánea (séc XV até os dias de hoje).

Por isso, depois de pegar o mapa e informações importantes sobre a cidade no centro de informações, não perdemos tempo e fomos logo nos aventurar pela cidade. A primeira parada foi logo no parque em frente ao centro de informações: Parc de la Devesa. O parque é bem grande e conta com uma área verde muito utilizada pelos moradores para a prática de esportes e realização de eventos culturais. Além de um grande bosque, o parque ainda conta com um jardim com inspiração francesa, mas como fomos bem no começo de abril ele ainda não estava florido.


Entrada do Parc de la Devesa, a maior área verde de Girona
Ao sair do parque, fomos conhecer a Plaça de la Independència, uma simpática praça em estilo neoclássico cercada de restaurantes. Nesta praça há um monumento dedicado aos defensores da cidade de Girona.


Monumento aos defensores de Girona na Plaça de la Independència

Em seguida, atravessamos a ponte sobre o rio e caminhamos até a Plaça de Sant Feliu para ver as muralhas antigas, símbolo da La Força Vella e datadas do século 1 d.C!

Olhe com bastante atenção a praça e veja uma pequena escultura de uma leoa (La Leona) em uma espécie de coluna no canto da praça. Reza a lenda que quem der um beijo na bunda da leoa voltará à cidade.

Quando visitamos a cidade, a prefeitura havia retirado a escada que dava acesso à Leoa em função de um acidente fatal com um turista, então tivemos que nos contentar com uma pequena placa presa na parede. Não demos um beijo na leoa, mas também não queríamos arriscar muito e então demos apenas um tapinha na bunda da leoa da placa... hahaha


Placa presa à parede com a reprodução da estátua de La Leona

Aproveitamos o caminho em frente à escultura e já paramos na Basílica de Sant Feliu. Como a maioria das igrejas na Espanha, a entrada é paga (exceto nos horários das missas) e nos custou 3,50 euros por pessoa. Além da entrada à Basílica, o ingresso dava direto ao audioguia (não disponível em português) e à entrada na Catedral de Girona.


Basílica de Sant Feliu

A Basílica de Sant Feliu foi a primeira catedral de Girona e a única até o século X. É um dos edifícios góticos mais importantes da cidade e ainda conta com um campanário bem ao lado, ideal para descansar um pouco e já procurar um lugar para almoçar. :)

Bem próximo à Basílica, existe uma construção romana chamada Los Baños Árabes. A estrutura é bem conservada e conta com uma sala para vestuário, uma sala de descanso e um espaço separado para sauna. A entrada custa 2 euros por pessoa e dá direito a apenas um folheto explicativo (nada em português aqui também).


Sala principal dos Baños Árabes

Em seguida, chegamos à principal atração da cidade: a Catedral de Girona! Como já tínhamos o ingresso, apenas apresentamos na entrada e pegamos o audioguia e o folheto explicando os pontos mais marcantes da construção. Reserve pelo menos 1 hora para esse lugar, já que também pode-se visitar o Museo-Tesoro de la Catedral.


Catedral de Girona

Logo ao lado, temos o El Call - Barrio Judio que convive perfeitamente bem com todos os símbolos católicos vizinhos. O bairro é bem conservado e com alguns simpáticos bares e restaurantes. Abriga também o Museu d'Historia dels Jueus, que conta a história dos judeus na Cataluña, e a Casa Masó, antiga residência de Rafael Masó, principal arquiteto do movimento conhecido como "novencentismo" da região de Girona, que recentemente foi aberta ao público.


Ruelas estreitas dão um charme especial ao bairro judeu

Seguimos em direção ao Rio Onyar, onde conseguimos ver a paisagem símbolo de Girona: as casinhas coloridas na margem do rio, conhecidas como "las casas colgadas". Embora a pintura já esteja um pouco desgastada pelo tempo, ainda assim a paisagem conserva o ar bucólico de antigas cidades medievais.


Casinhas coloridas marcam a paisagem ao longo do rio Onyar

Descendo a margem do rio, chegamos à Rambla de la Llibertat, uma das ruas mais movimentadas da cidade e com várias lojas de souveniers, restaurantes, sorveterias e provavelmente muito agito durante os finais de semana de verão. Quando visitamos a cidade, a rua não parecia muito agitada, como mostra a foto abaixo. 


A Rambla de la Llibertat é um dos pontos de agito durante os finais de semana

Para voltar ao lado do rio onde está a estação de trem, aproveitamos a bela Pont de Pedra, uma ponte gótica muito bem conservada. Aproveite para tirar algumas fotos de ambos os lados do rio Onyar antes de se despedir dessa pequena, porém encantadora cidade. :)

Pont de Pedra

Para facilitar o planejamento de quem estiver pensando em conhecer Girona, deixamos abaixo um mapa com o nosso roteiro de atrações que visitamos em nossa viagem de bate-e-volta de um dia. 

Nosso roteiro de um dia por Girona, saindo e voltando para a estação de trens

Dessa forma, após nossa última parada na Pont de Pedra, rumamos em direção à estação de trens para voltarmos para Barcelona. Se você quiser acompanhar todos os posts de nossa viagem de 21 dias pela Espanha, clique aqui.

Além disso, não deixe de acompanhar os próximos posts e Vamos pelo Mundo!

Booking.com
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário