Viagens passadas, presentes e futuras

Um dia pelos Pueblos Blancos

Após passarmos 4 dias em Sevilha na Semana Santa (Clique Aqui e Aqui para ler), alugamos um carro na estação de trens Santa Justa e seguimos viagem com destino a Granada.

A viagem de carro até Granada dura cerca de duas horas e meia se for feita sem desvios, porém aproveitamos o dia para conhecer algumas cidadezinhas típicas da região da Andaluzia conhecidas como "Pueblos Blancos".


Impressionante visual da cidade de Ronda


Mas, afinal, o que é a rota dos Pueblos Blancos?

Os "Pueblos Blancos" são na verdade o conjunto de pequenas cidades encravadas nas encostas das montanhas que ganham esse apelido devido a coloração predominantemente branca das construções de estilo mouro. 

Como existem diversas cidades pelo caminho, não há uma rota oficial dos Pueblos Blancos e você pode levar o tempo que quiser parando em inúmeras cidades de estilo semelhante. Nós tínhamos apenas um dia disponível para isso, então nos concentramos em conhecer apenas algumas das mais famosas cidades da região: Jerez de la Frontera, Arcos de la Frontera e Ronda.

Quando visitar os Pueblos Blancos?

Nós fizemos essa viagem no final do mês de Março e pegamos um tempo ótimo, com dias muito bonitos e quentes. Na região da Andaluzia não costuma fazer muito frio mesmo no inverno, então achamos que essa viagem pode ser feita facilmente em qualquer época do ano!

Como foi nosso roteiro pelos Pueblos Blancos?

Nossa primeira parada após sairmos de Sevilha foi na cidade de Jerez de La Frontera, após pouco mais de uma hora de carro por uma estrada boa e bem sinalizada ao Sul de Sevilha. Como compramos um chip espanhol de celular da Vodafone em Madri, não tivemos problemas com atualização de GPS e isso facilitou bastante o nosso deslocamento pelas estradas espanholas.

Jerez é uma cidade pequena, muito famosa pela produção do vinho do tipo Jerez ou Xerez, com algumas ruas estreitas como a maioria das cidades na região.

A produção do típico vinho Jerez é motivo de orgulho na cidade

Apesar de termos chegado na cidade próximo ao horário do almoço, tivemos problemas em achar um restaurante aberto. Então, tivemos que almoçar no restaurante El Molino, um "pé sujo" quase ao lado da Catedral de Jerez com bom atendimento e comida mais ou menos. Mas, felizmente conseguimos sobreviver! rs

Já devidamente alimentados, começamos o passeio pela cidade conhecendo a Catedral de San Salvador (5 Euros por pessoa). A Catedral não é muito grande, porém vale a pena a visita.

Catedral de Jerez de la Frontera

Saímos da Catedral e demos uma volta pela bonita praça em frente ao Alcázar de Jerez, outro dos principais pontos turísticos da cidade.

Alcázar de Jerez de la Frontera

Como estávamos com o tempo apertado, tiramos apenas algumas fotos do exterior e seguimos o passeio até a Plaza del Arenal, outrora palco de grandes batalhas e hoje a principal praça da cidade.

Plaza del Arenal hoje é a principal praça da cidade de Jerez de la Frontera

Após um tempinho para conhecer o centro da cidade, tirar algumas fotos e descansar, voltamos à estrada e em cerca de 30 minutos chegamos à nossa segunda parada: Arcos de la Frontera.


Simpática rua de casinhas brancas em Arcos de la Frontera

O estilo da cidade de Arcos de la Frontera é parecido com o de Jerez, porém menor. Para chegar ao principal ponto da cidade, a Plaza del Cabildo, você precisará estacionar o carro e subir uma ladeira a pé em função da restrição de circulação de carros não cadastrados. Porém, a subida é recompensada por uma bonita vista a partir do "Balcón de la peña nueva", um mirante localizado na Plaza del Cabildo, no lado oposto da Basilica de Santa Maria de la Asunción.

Vista do mirante em Arcos de la Frontera

Logo ao lado do mirante, há um hotel da rede Paradores de España que possui um restaurante bem legal. Porém, como não conseguimos segurar a fome até aqui, não pudemos experimentar o restaurante para contar como foi. :)

Como chegamos em Arcos após o almoço, praticamente não vimos moradores nas ruas, pois no interior da Andaluzia o hábito da siesta ainda é muito preservado e quase todo o comércio fecha as portas. Havia apenas poucos turistas vagando pelas charmosas ruas da cidade. Na descida para voltarmos ao lugar onde estacionamos o carro, ainda paramos no simpático restaurante Taberna Jovenes Flamencos, com decoração inspirada na tradição das touradas, para beber uma água e fazer um breve descanso antes de seguirmos viagem.

A simpática Taberna Jóvenes Flamencos é uma boa parada para o descanso das ladeiras de Arcos

Depois de conhecer a simpática cidade de Arcos de la Frontera, seguimos viagem até Ronda! E com certeza, essa foi a cidade que mais valeu a pena visitar em nossa opinião!

Iglesia de Nuestra Señora de la Merced

Ronda é a maior e mais interessante cidade dentre as que conhecemos na rota dos Pueblos Blancos. Se tivéssemos mais tempo, teríamos passado uma noite na cidade para conhecer melhor.

A cidade possui um centrinho bem bonito e agradável e, mesmo no horário da siesta, havia vida! Os restaurantes estavam abertos, principalmente cafeterias, lanchonetes e sorveterias.

Estacionamos o carro próximo da igreja de Nuestra Señora de la Merced, aquela da foto ali em cima, e fomos caminhando até a Alameda del Tajo, uma bonita praça com um mirante para apreciar a vista do vale cortado pelo Rio Tajo, o mesmo rio que corta Lisboa, mas que lá se chama Tejo.

Na Alameda del Tajo existe um mirante 
Em seguida, continuamos nossa caminhada por mais alguns metros até chegarmos à Plaza de Toros de Ronda, onde acontecem as Touradas na cidade. Como já havíamos conhecido a Plaza de Toros de Sevilha, que é bem maior que a de Ronda, nem nos preocupamos em conhecer esta e nos contentamos em ver por fora e tirar algumas fotos.

Plaza de Toros de Ronda
Seguindo mais alguns metros na mesma direção, chegamos sem dúvidas ao principal ponto turístico da cidade e talvez o ponto alto da nossa visita aos Pueblos Blancos: a Puente Nuevo. Pare um tempo para apreciar a incrível vista do cânion sob a ponte e perder o fôlego com o visual. O lugar é realmente incrível, arrancando suspiros dos turistas quando chegam à ponte.

Puente Nuevo em Ronda

Após apreciarmos esse visual incrível, terminamos nosso dia pelos Pueblos Blancos e seguimos viagem até Granada, cansados, mas felizes por ter conhecido esses povoados tão peculiares encravados nas montanhas.

Dica 1: Cuidado com o horário da siesta, pois o comércio costuma fechar em toda a cidade! De verdade! Se você tem o costume de almoçar após às 13hs, pode ser difícil achar algum lugar legal para comer.

Dica 2: Existem estacionamentos e vagas demarcadas em todas as cidades que fomos. Mas tome cuidado porque é necessário pagar o estacionamento em máquinas automáticas e deixar o comprovante em local de fácil visualização no painel do carro. Ah, durante a siesta, alguns estacionamentos públicos eram gratuitos!

E você, está preparado para conhecer a Andaluzia e se deixar seduzir por todo o seu charme e encanto? Está planejando sua viagem pela Espanha? Então não perca os demais posts do nosso roteiro de 21 dias pela Espanha (clique aqui para lere Vamos pelo Mundo!



Booking.com
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário