Viagens passadas, presentes e futuras

Sevilha, a alma da Andaluzia

Continuando as nossas andanças pela Espanha, conforme contamos no post inicial (leia AQUI), depois de passarmos por Madri, com direito a bate-e-voltas a Toledo e Segóvia, a nossa segunda cidade base foi Sevilha!

Sevilha é a capital e a cidade mais populosa da região da Andaluzia, terra onde a Espanha se parece de verdade com todos aqueles estereótipos espanhóis que sempre vimos na TV: Touradas, Flamenco, Azeites, igrejas lindas, mercados, festas de rua lotadas e muito mais! Mas não pense que isso é um problema! Pelo contrário, é certeza de diversão!

Plaza de España

Quando começamos a montar nosso roteiro, não nos atentamos inicialmente para um detalhe MUITO importante: chegaríamos em Sevilha no começo da Semana Santa, altíssima temporada na cidade, e por isso os preços dos hotéis estavam caríssimos, várias ruas estariam fechadas e a cidade toda contaria com uma programação especial devido ao feriado.

Aliás, a Semana Santa em Sevilha é uma ocasião tão especial que vamos contar os detalhes sobre ela em um post separado. Por enquanto, vamos falar apenas das atrações da cidade.


Como chegar em Sevilha?
No nosso caso, como estávamos em Madri, achamos que a maneira mais fácil de chegar seria utilizando o trem. Também dá para ir de ônibus ou de carro, mas a viagem dura mais tempo.

Compramos as passagens ainda no Brasil com antecedência de 90 dias no site da Renfe, a companhia de trens da Espanha, pois comprar com antecedência é importante para assegurar as menores tarifas. No nosso caso, conseguimos comprar as passagens por 26 euros por pessoa na tarifa Promo e notamos que logo depois os preços subiram bastante.

Quando estiver procurando sua passagem, certifique-se de ter escolhido as estações certas tanto em Madri quando em Sevilha para não ter problemas. Os trens rápidos saem de Madri da Estação Puerta de Atocha e chegam em Sevilha na Estação Santa Justa. 


Onde ficar em Sevilha?
O melhor lugar para ficar, principalmente se você não tiver muitos dias na cidade, é no Centro. Se possível, fique próximo à Catedral e você conseguirá fazer tudo a pé sem problemas.

Na época da Semana Santa, porém, os hotéis estavam muito caros no Centro, com tarifas que chegavam ao dobro dos preços normais para a temporada. Assim, optamos por ficar no hotel Meliá Lebreros, longe do centro porém bem próximo à estação de trens Santa Justa já que chegaríamos em Sevilha de trem e sairíamos de carro alugado na mesma estação.

O Hotel era muito bom, mantendo o padrão de conforto da rede Meliá, mas tinha um problema inesperado para um hotel desta categoria. O Hotel conta com um sistema único de refrigeração/calefação que permite que apenas um dos dois sistemas esteja disponível por vez. Apesar do forte calor de mais de 30 graus em Sevilha, o sistema estava ligado no modo calefação e não era possível utilizar o ar condicionado. Pelo menos à noite a temperatura caía e conseguimos dormir com a janela aberta.

Apesar de longe do centro, a localização do hotel é muito cômoda e a locomoção para o Centro é bem fácil, já que há uma estação de metrô a poucas quadras que te deixa próximo às principais atrações rapidamente.

O bilhete do metrô nos custou 12,80 Euros com direito a 8 passagens e ainda podia ser usado por 2 ou mais pessoas. Você pode encontrar os mapas de estações e informações atualizadas sobre o metrô de Sevilha no site oficial em http://www.metro-sevilla.es/es.

Dica importante: não jogue fora o seu ticket do metrô! Para liberar a catraca na saída, tem que passar o ticket novamente.


Quanto tempo ficar em Sevilha?
O tempo dedicado à Sevilha depende de quanto tempo você tem disponível, mas acreditamos que em 3 dias você consiga ver todas as atrações que listamos abaixo sem precisar fazer "maraturismo"! Se tiver 4 dias, melhor ainda!

Caso vá na Semana Santa e seja religioso, vale a pena ficar uns 2 dias a mais pela experiência de fé que os desfiles proporcionam. Até porque muitos são de noite/madrugada.


O que fazer em Sevilha?
Agora que você já sabe como chegar e onde ficar na cidade, vamos falar sobre o que nós fizemos por lá:

  • Plaza de España:
Foi um dos lugares que mais gostamos em Sevilha e a visita é obrigatória! A Plaza de España é tão bonita que é difícil ter noção de sua beleza e grandiosidade somente pelas fotos. Esta praça fica próxima à estação Prado San Sebastián do metrô e está integrada ao Parque de Maria Luisa (se estiver quente, vale a pena descansar um pouco e fazer um piquenique por lá).


Plaza de España

A Plaza de España foi construída para a Exposição Iberoamericana de 1929 e representa as 48 Províncias existentes na Espanha, com um espaço dedicado a cada uma delas em cenas pintadas em azulejos (e é um lugar bastante disputado para as fotos!!).


Cantinho dedicado a Valência na Plaza de España

Uma observação curiosa é que a Plaza de España já foi cenário da filmagem de Star Wars I e II, como você pode ver na foto abaixo retirada da internet.


Foto retirada da internet com cena do filme Star Wars


  • Catedral de Sevilha:
A Catedral de Sevilha é outro ponto imperdível cuja visita é obrigatória! Vale a pena a visita à Catedral por 2 motivos principais: é a maior catedral gótica do mundo (Se considerarmos todos os estilos, a Catedral de Sevilha é a 3a maior do mundo, perdendo apenas para a Basílica de São Pedro, no Vaticano, e para a Basílica de Nossa Senhora Aparecida, em São Paulo) e é listada como Patrimônio Cultural e Histórico da Humanidade pela Unesco.

Além disso, a Catedral foi erguida sobre o local onde ficava uma mesquita (se visitar outros lugares da Espanha, verá que isso era muito comum). Apesar da grandiosidade deste grande templo católico, ainda é possível encontrar lembranças da antiga mesquita, como o pátio com várias laranjeiras (Pátio de Los Naranjos) e a Torre La Giralda.

Pátio de los Naranjos preserva as lembranças da antiga Mesquita

As filas para a visita costumam ser extensas, por isso recomendamos a compra antecipada pelo site oficial da Catedral. Com a compra pelo site, o audioguia é gratuito e não pegamos nenhuma fila (a entrada é feita por uma das portas laterais da Catedral, onde tem indicação de entrada grupos e portadores de ingressos comprados pela internet).


Altar no interior da Catedral de Sevilha

Além do interior riquíssimo e de rara beleza, aqui também você vai encontrar o túmulo do navegador Cristóvão Colombo (há controvérsias) em destaque em uma das laterais no interior da igreja.


Túmulo de Cristóvão Colombo

  • Torre La Giralda:
A torre fica no Campanário da Catedral de Sevilha e mede um pouco mais de 100 metros de altura.


Torre La Giralda vista do Patio de los Naranjos, no interior da Catedral

A caminhada até o topo da Torre é feita por rampas internas, assim construídas para permitir que a subida para tocar o sino fosse feita à cavalo.

Como você não terá a mesma sorte de subir as rampas à cavalo, aproveite as grandes janelas na lateral da Torre para apreciar a vista por todos os ângulos e também para descansar um pouco. :)


Parada estratégica para descansar e apreciar a vista

Se você não perder todo o fôlego durante a subida, prepare-se para perder ao chegar no topo da torre, pois a vista panorâmica da cidade vale a pena a subida!


Vista panorâmica de Sevilha

  • Real Alcázar de Sevilha:
Assim como a Plaza de España, os jardins do Real Alcázar também já foram usados como set de filmagem, mas dessa vez de Game of Thrones!

Foto retirada da internet com cena de Game of Thrones

Porém, o local vai muito além de belos jardins famosos na TV. Dedique uma tarde inteira para o Real Alcázar e temos certeza de que você não se arrependerá!

Declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO, o Real Alcázar é um grande complexo de palácios, edifícios e jardins de diferentes épocas que serviram aos Reis e Nobres Sevilhanos durante o passar dos séculos.

Os ingressos podem ser comprados antecipadamente pelo site oficial do Real Alcázar e custam 9,50 euros por pessoa (crianças e idosos não pagam e estudantes tem desconto), mas é preciso já marcar o horário. Além disso, pelo site ou no local, é possível alugar audioguias em inglês ou espanhol por 5 euros.


Um dos muitos pátios do Real Alcázar

Nós escolhemos o audioguia, mas ficamos um pouco decepcionados porque ouvimos um pouco do que os guias oficiais falavam lá dentro e as explicações e detalhes mostrados eram bem mais interessantes que os comentários do audioguia.

Logo na fila de entrada, vimos guias juntando alguns grupos avulsos para a visita guiada. Então, se você não tiver ingresso e a fila estiver grande, pode ser uma boa opção se juntar à um destes grupos!

  • Real Maestranza de Sevilha (Plaza de Touros):
A Plaza de Touros é um lugar bem típico de Sevilha e a província ainda conserva o hábito das touradas. A temporada começa no final da Semana Santa, para aproveitar a cidade cheia de turistas.


Exterior da Plaza de Toros

Escolhemos apenas conhecer o interior por meio de uma visita guiada que custou 7 euros por pessoa (o guia é obrigatório nessa visita devido à segurança) com explicações em inglês e espanhol.

As explicações eram bem detalhadas e as histórias contadas com muita naturalidade, apesar de ser uma tradição um pouco cruel para quem não está acostumado. No pequeno museu no interior da Plaza de Toros estão expostas algumas cabeças empalhadas de touros mortos na arena, além de roupas, quadros, desenhos e pinturas de toureiros famosos.

Para ser considerado um vencedor, o toureiro deve abater o touro e sair da arena com o rabo ou a orelha do animal, chamados de troféus.

O grande palco das tradicionais Touradas

A prática das touradas já foi abolida em vários lugares da Espanha, mas cada província tem a liberdade de escolher se quer continuar ou não com esse "esporte".

A temporada de touradas começaria justamente no dia em que visitamos a Plaza de Toros, mas por acharmos uma atividade extremamente cruel com os animais, optamos por não assistir a Tourada.

Dica importante: Verifique se no dia que pretende fazer a visita não há tourada, pois se tiver, as visitas são mais curtas e não é permitida a entrada em todas as áreas, como os estábulos por exemplo.

  • Metropol Parasol:
Esse é um monumento que conflita bastante com o ar antigo e histórico de Sevilha e nos causou estranheza ao olhar.

A estrutura, que fica a aproximadamente 1km da Catedral, é toda construída em madeira e é considerada uma das maiores construções com esse tipo de material do mundo. Dizem que foi inspirada nas abóbadas da catedral de Sevilha e a intenção é que parecesse com cogumelos gigantes.

Estrutura de madeira do Metropol Parasol

Sinceramente, apesar de curioso e diferente, não achamos o Metropol Parasol bonito e nem achamos interessante o mercado existente no primeiro andar. Então vá para conhecer, mas não espere se encantar com ele rsss.

  • Torre del Oro:
A Torre del Oro fez parte da muralha antiga da Cidade e está às margens do rio Guadalquivir. Por esse motivo, servia como entreposto comercial onde todo o tesouro que chegava até Sevilha era controlado e devidamente taxado.


Torre del Oro

A Torre já serviu como sede da Marinha e atualmente abriga o Museu Naval. Também é possível subir no topo da torre, mas optamos por não subir.


  • Bairro de Triana:

Após visitar as atrações do centro de Sevilha, atravesse a ponte até o outro lado do Rio Guadalquivir para descobrir o vibrante bairro de Triana.


Rua no bairro de Triana

Atravesse a ponte de Triana, próxima à Torre del Oro, e siga pela margem do rio ou perca-se pelas ruas mais internas seguindo o grande movimento de moradores e turistas. O bairro de Triana concentra a maior quantidade de casas de Flamenco na cidade e é também muito popular por seus bares e igrejas. 

Após caminhar pela margem do rio, colado à ponte Isabel II, você pode encontrar o Mercado de Triana, versão menor e mais popular dos grandes mercados espanhóis. 


Entrada do Mercado de Triana

Depois de conhecer o mercado de Triana, cruzamos a ponte Isabel II e voltamos novamente para a região do centro.

  • Mercado Lonja del Barranco:
O Mercado Lonja del Barranco fica na Calle Arjona, no final do Paseo de Cristóbal Colón e bem próximo a ponte de Isabel II.

O mercado conta com mais de vinte boxes bem organizados que servem uma grande variedade de comidas e bebidas, entre porções de jamón, frutos do mar, carnes grelhadas, empanadas, drinks, doces e outros quitutes. 


Interior do Mercado Lonja del Barranco

Embora seja bem menor que outros mercados que visitamos na Espanha, esse mercado cumpre bem sua função para fazer um lanche rápido ou para ter um jantar informal e relaxar depois de bater perna pelas atrações turísticas da cidade.

  • Estádio Ramón Sánchez Pizjuán:
O estádio do time do Sevilha fica na Calle Sevilla Fútbol, s/n, atrás do shopping Nervión Plaza e quase em frente ao hotel em que nos hospedamos, o Meliá Lebreros.


Fachada do estádio do time do Sevilha F.C.

A fachada do estádio é acanhada se comparada aos estádios dos grandes times espanhóis e infelizmente não conseguimos entrar pois estávamos com o tempo apertado para todas as atrações da cidade.

Uma curiosidade sobre a fachada do estádio é que abaixo do nome há uma série de escudos de times de todo o mundo, dentre ele os brasileiros Santos e Fluminense e o argentino Boca Jrs, dentre muitos outros.


Assim, encerramos nossa visita à esta cidade incrível. E aí, ficou com vontade de conhecer Sevilha também? Não perca tempo e programe logo sua viagem, pois garantimos que você não vai se arrepender! Aproveite também para acompanhar os outros posts sobre nossa viagem de 21 dias à Espanha e Vamos pelo Mundo!


Booking.com

Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário