Viagens passadas, presentes e futuras

Madri - a vibrante capital espanhola

Conforme contamos no post inicial, nossa viagem pela Espanha começou por Madri! Aliás, você já leu nosso post sobre o roteiro na Espanha? Se não leu, clique aqui para ler!


Catedral de Madri

Madri, a capital espanhola, é uma cidade muito vibrante, com muitos bares, parques, museus, boas lojas e uma arquitetura incrível. Além de ser parada obrigatória em qualquer viagem à Espanha por suas tradições e história, Madri ainda é uma ótima base para pequenas viagens bate-e-volta para cidades próximas (clique aqui para ler sobre o bate-e-volta até Toledo e aqui para saber como foi conhecer Segóvia de balão)!

A culinária é, sem dúvida, um ponto muito importante da cultura espanhola e é difícil não se deliciar com as quase onipresentes tapas, com o tradicional jamón e com seus azeites especiais!


Peças de presunto penduradas, cena comum em Madri


Quando ir?
Como dissemos no post sobre o planejamento do roteiro, a Espanha é uma boa opção para visitar durante todo o ano. O verão costuma ser bem quente em todo o país, mas ao contrário da região da Andaluzia, espere encontrar frio em Madri no inverno. Nós visitamos Madri no final de Março e pegamos um tempo muito bom, com dias ensolarados e uma temperatura ótima.


Onde ficar em Madri?
Após decidir visitar a cidade, você precisa pensar em onde se hospedar em Madri. Como qualquer grande cidade, Madri oferece inúmeras opções de hotéis, hostels, pensões e apartamentos para todos os gostos e bolsos. A rede de transporte público é muito boa, o que permite uma fácil locomoção até os principais pontos da cidade.

Entretanto, a melhor forma de conhecer Madri é a pé! Por isso, escolhemos ficar na região próxima à Puerta del Sol, no centro da cidade, para facilitar a circulação pelos principais pontos turísticos e contar com a conveniência do metrô.

Alugamos um apartamento ótimo (Santa Ana Star) pelo Booking.com, com um quarto, sala e cozinha completa. O apartamento fica na calle Príncipe, entre a Puerta del Sol e a Plaza Santa Ana, uma das regiões indicadas pelo Ricardo Freire, do Viaje na Viagem, e aprovada por nós! Então, pode confiar! :)

O apartamento ainda fica ao lado de uma loja do Carrefour e perto de boas opções de restaurantes e bares.


Chegando em Madri...
Chegando em Madri pelo aeroporto de Barajas, você pode optar por pegar um táxi, um ônibus ou ir até o centro da cidade usando o Metrô.

Nós usamos o metrô e achamos uma ótima opção, além de ser muito mais barato que um táxi. Para tal, a dica é seguir as placas dentro do aeroporto até a entrada do metrô, se dirigir a uma das máquinas de auto-atendimento e comprar seu bilhete usando dinheiro ou cartão de crédito, sem estresse e super descomplicado. Nossa dica é comprar de uma vez um combo com 10 viagens (18,60 Euros). Esse ticket é válido para trem, ônibus e metrô e pode ser utilizado por 2 ou mais pessoas. É importante ressaltar que há um acréscimo de 6 euros para chegar até o aeroporto, mas se for usar apenas na cidade, o bilhete combo sai a 12,60 (enquanto o bilhete unitário custaria 1,50 por trecho).

Há ainda opções de bilhetes para uso em dias consecutivos, mas se você não for utilizar o transporte público em dias consecutivos, não valerá a pena, como era o nosso caso. Além disso, esse bilhete de dias consecutivos pode ser usado apenas por uma pessoa.

Você pode encontrar o mapa da rede de metrô de Madri no site https://www.metromadrid.es/es/index.html.


Outra dica importante...
Além disso, uma outra boa dica é comprar um chip pré-pago se você for ficar muitos dias no país. No nosso caso, compramos um chip da Vodafone por 15 Euros com direito a 50 minutos de ligações dentro do país e a 1,5 giga de internet que valeu muito a pena, pois quebrou um galho em momentos que precisamos utilizar o telefone, nos deixou conectados durante toda a viagem sem depender de Wi-Fi e ainda nos permitiu usar os aplicativos de GPS no telefone, eliminando a necessidade de aluguel de um GPS para percorrer as estradas da Andaluzia.


O que visitar?
Após as dicas, contamos a seguir os pontos turísticos que visitamos:


  • Puerta del Sol:
Como dissemos anteriormente, ficamos hospedados próximo à Puerta del Sol pela facilidade de acesso aos principais pontos turísticos da cidade.

Além de ser uma das principais praças de Madri, a Puerta del Sol é também um dos locais preferidos pelos madrilenhos para passar a virada do ano novo, quando se reúnem em frente ao prédio dos Correios.

Além disso, na Puerta del Sol você encontrará uma escultura construída em 1967 por Antonio Navarro Santafé de um urso subindo em uma árvore (Madroño) que é o símbolo da cidade. 


Puerta del Sol com a escultura símbolo da cidade ao fundo

Explicamos o motivo: o urso representa o Estado e a árvore representava a Igreja. Depois de anos de disputa, chegou-se a um acordo: a Igreja ficaria responsável por cuidar das terras e do pasto e o Estado, pelos bosques. Quando as duas "entidades" se juntaram, a intenção era que ficasse bem claro quem mandava!


  • Plaza Mayor:

A Plaza Mayor é uma das principais praças de Madri e fica a poucos metros da Puerta del Sol. A praça é muito interessante e possui também algumas curiosidades: Inicialmente, era uma praça usada para touradas, depois se tornou palco para as atrocidades cometidas durante o período da Inquisição, até finalmente se tornar um centro comercial e cultural da cidade.



Plaza Mayor, ponto de partida para o Free Walking Tour

Na praça há uma estátua de um cavalo que durante anos exalou um péssimo odor. Alguns acreditavam que o corpo do cavalo estaria dentro da estátua, mas segundo as explicações do guia, o mistério foi solucionado quando abriram a barriga da estátua e encontraram diversos pássaros mortos. Como a estátua era oca, os pássaros entravam pela boca do cavalo e não conseguiam sair novamente, morrendo lá dentro e gerando o cheiro insuportável. Após este episódio, a boca do cavalo foi fechada para evitar que qualquer animal entre no local e o problema do mal cheiro foi resolvido.




  • Free walking tour:

Como falamos em posts anteriores, sempre procuramos no site da Sandeman's para verificar se a cidade que visitamos possui o free walking tour. E para a nossa sorte, Madri tinha tours em inglês e espanhol em diversos horários saindo da Plaza Mayor.



Free Walking Tour em Madri

O free walking tour é uma ótima oportunidade para conhecer os principais pontos turísticos da cidade sem gastar dinheiro (apenas a gorjeta pro guia, se quiser dar e quanto quiser) e com ótimas explicações sobre a história e curiosidades de cada local visitado.


Sempre usamos esse tour para mapear quais atrações vamos priorizar posteriormente, além de aproveitar para pedir dicas de restaurantes locais bons e que não sejam tão turísticos.

Gostamos tanto do Free Walking Tour de Madri que contratamos mais dois passeios pagos (se comprasse apenas um, seriam 12 euros cada, mas comprando os dois tours, saiu a 9 euros cada): Tour Majestic Madrid e Tour da Inquisição Espanhola, descritos a seguir.


  • Tour Majestic Madrid e Tour Inquisição Espanhola:
O Tour Majestic Madrid passa por lugares incomuns e achamos um pouco corrido, pois a distância percorrida é bem grande. O tour aproveita para apresentar alguns dos escritores espanhóis mais famosos como Lope de Vega e Miguel de Cervantes (famoso por "Dom Quixote").



Além disso, o ponto de partida não é o mesmo do final. O começo é na Plaza Mayor e o término do Tour é no Parque do Retiro, um lugar ótimo para relaxar depois da caminhada e também para fazer um piquenique (se o tempo permitir).


Parque do Retiro

Já o Tour da Inquisição Espanhola é muito interessante para quem curte história e nós tivemos muita sorte porque o guia era ótimo (Enrique) e não tinha mais ninguém no tour além de nós. O "ponto alto" do tour é a parada em frente ao prédio da Inquisição onde o Enrique nos contou como era o procedimento de denúncias e torturas.



O tribunal recebia uma denúncia contra a pessoa e a levava para esse prédio. Se o acusado confessasse o mesmo crime do qual fora denunciado, recebia a punição devida e era liberado (se sobrevivesse). Se o acusado alegasse não saber do que se tratava a denúncia, ficava preso para "pensar um pouco" e se, mesmo assim, não se lembrasse do que estava sendo acusado, recebia três cruéis sessões de tortura e, caso sobrevivesse e ainda assim não "lembrasse de nada", finalmente era liberado e vida que segue!






  • Parque do Retiro:

O Parque do Retiro é uma grande área verde com jardins, lagos, fontes, estátuas e belas estruturas utilizado para o lazer dos moradores e turistas que visitam a cidade.


Uma das entradas do Parque do Retiro

O local já sediou um grande palácio e foi usado como quartel das tropas de Napoleão, mas hoje é uma das maiores áreas de lazer de Madri. Dedique algum tempo para passear por aqui e apreciar as belezas do parque. Se o tempo ajudar, você ainda pode aproveitar para fazer um piquenique enquanto contempla os belos jardins e lagos do parque.



Lago artificial no Parque do Retiro



  • Puerta de Alcalá:
Toda cidade antiga que se preze possuía uma muralha com portas para controlar o fluxo de pessoas e mercadorias garantindo assim a cobrança de impostos sobre os produtos que entravam e saíam da cidade. E em Madri não seria diferente. Com o tempo, essas cidades cresceram e ultrapassaram os limites impostos pelas muralhas, que acabaram em muitos casos por ser destruídas.

Puerta de Alcalá é uma das portas reais de acesso à antiga cidade de Madri, e certamente é a mais conhecida de todas. Ela fica no centro da Praça da Independência, junto à porta principal do Parque do RetiroO nome da porta é uma homenagem à cidade que ficava no caminho, Alcalá de Henares.




Puerta de Alcalá em Madri

Uma das características mais marcantes da Puerta de Alcalá é que os dois lados não são iguais, em função da fusão entre dois distintos projetos.




De um lado a Puerta de Alcalá ostenta símbolos militares e de outro quatro figuras angelicais simbolizando a Fortaleza, a Justiça, a Temperança e a Prudência. Porém, o rei não abriu mão de manter um detalhe em comum em ambos os lados: a inscrição Rei Carlos III – 1778.




A Puerta de Alcalá já foi restaurada várias vezes ao longo dos anos e sua estrutura original sempre foi preservada, mas os buracos de balas decorrentes de um confronto com as tropas napoleônicas foram mantidos, demonstrando a importância do monumento em relação à história de Madri.


  • Plaza de Cibeles:
A Praça de Cibeles é um importante ponto da cidade e divide os bairros do Centro, Retiro e Recoleta. Fica entre o Paseo de Recoletos e o Paseo del Prado, uma área muito legal para uma caminhada sem pressa para observação das fontes e jardins.




Quando estiver aqui, não deixe de ver de perto a Fuente de Cibeles no centro da praça e as demais fontes próximas na região do Paseo, dedicadas a Netuno e Apolo.



  • Gran Via:
A Gran Vía é uma das principais avenidas de Madri, sendo uma importante zona comercial e de lazer, cortando algumas das principais áreas da cidade entre a Plaza de España e a Puerta de Alcalá.

Ao longo da Gran Vía você vai encontrar muitas lojas de marcas internacionais, restaurantes e teatros, além do Metropolitan, talvez o prédio mais icônico de Madri.

Quando estivemos lá o prédio estava em reforma, mas conseguimos ver a bela escultura que decora o topo.




Metropolitan, um dos símbolos da Gran Vía em Madri


  • Catedral de La Almudena:
A Catedral de Madri (Santa Maria a Real de Almudena), localizada no centro da cidade, em frente ao Palácio Real, é muito bonita e também curiosa. Sua construção foi iniciada em abril de 1883, porém só foi concluída em junho de 1993 mostrando que a conclusão de obras fora do prazo não é uma exclusividade brasileira. :)

Por ter levado tanto tempo (110 anos!) para ser concluída, a Catedral apresenta diferentes estilos arquitetônicos pois cada arquiteto que assumia queria deixar a sua própria marca na construção e, consequentemente, alterava o estilo da construção para o novo estilo de sua época. Apesar da confusão de estilos, o resultado foi incrível, principalmente ao final da tarde, quando o contorno da Catedral se embeleza com o pôr-do-sol:



Pôr-do-sol embelezando a Catedral de Madri

A visita à Catedral vale muito a pena, porém quando fomos visitá-la, iria começar uma missa e só deixavam entrar quem fosse realmente assistir. Acabamos adiando a nossa visita e não conseguimos voltar para ver o interior, infelizmente. A Catedral está aberta das 10 às 21h.

Fachada clássica da Catedral de Madri

O nosso guia do free walking tour nos recomendou não andar com câmeras e adornos chamativos nessa área, pois por ser uma área muito turística, sempre aparecem batedores de carteira esperando um momento de desatenção. Logo, fiquem atentos sempre!

  • Palácio Real:
O Palácio Real de Madri fica exatamente em frente a Catedral e, por isso, é uma ótima conjugação de passeios.

Com uma área de 135 mil m² e 4.318 quartos, o Palácio Real de Madri é o maior palácio real na Europa em área construída (o Palácio de Versailles é maior se contarmos os jardins).


Área externa do Palácio Real

Embora o Palácio continue sendo a residência oficial do Rei da Espanha, não espere encontrar a família real espanhola em sua visita ao Palácio, uma vez que o Palácio é usado apenas para festas e cerimônias oficiais.


Há preços variados para a entrada, de acordo com a quantidade de locais internos a serem visitados, sendo 11 euros para ver a exposição temporária ou 10 euros se for ver apenas o Palácio. Ainda há a opção de "meia entrada" para idosos, crianças e famílias numerosas (acima de 5 pessoas se não me engano).





Como havia muitos lugares para ver e nos disseram que o interior do Palácio, apesar de bonito, não era muito diferente de outros palácios na Europa, optamos por deixar a visita ao Palácio para o final da viagem caso sobrasse algum tempo, mas infelizmente também não conseguimos entrar no Palácio em função do horário, pois até abril o horário de funcionamento é até às 18hs (de abril a outubro, o palácio fecha às 20h).


  • Plaza Santa Ana:
Essa é uma simpática e charmosa praça, frequentada por moradores locais e por crianças brincando em um simpático parquinho nos dias em que o sol resolve aparecer.


Cercada por bons restaurantes e bares, a praça tem de um lado o hotel Santa Ana e do outro lado o Teatro Español com uma estátua de García Lorca em frente.




  • Estádio Santiago Bernabéu:
O Estádio é a casa do Real Madrid e dispõe de um tour pelo seu interior por 19 euros por pessoa. Compramos o ingresso pelo site oficial do clube, mas também pode ser comprado na hora (com uma pequena fila). Para quem é "sócio torcedor" do Real Madrid, o tour sai de graça.

A entrada é bem sinalizada, sem tumultos e com detector de metais para garantir a segurança no interior do estádio. Ficamos menos de 10 minutos na fila de entrada, porque conseguimos correr e chegamos antes de uma excursão de colégio. Ainda bem! rsrs

O tour começa pela parte de cima do Estádio, onde você tem acesso a um setor da arquibancada e pode ter uma visão geral das arquibancadas e do gramado, como mostramos nessa foto aí embaixo:



Depois, descemos até a sala de troféus do clube, onde estão expostos os troféus das conquistas do time madrilenho, além de camisas, objetos e projeções que contam a história do clube desde a sua fundação.




Alguns dos muitos troféus exibidos

Em seguida, visitamos o gramado e os bancos de reserva das equipes antes de seguirmos para os vestiários e a tribuna da imprensa.



O tour acaba em uma sala com uma maquete mostrando como ficará o novo Estádio que será construído. O resultado é realmente impressionante!




Além disso, tivemos a sorte de ver um jogo entre Real Madrid e Sevilla no dia em que chegamos na cidade.

Compramos o ingresso do jogo direto no site do Real Madrid com poucos dias de antecedência e pagamos 90 euros cada + 5 euros de taxa de conveniência. Existiam ingressos mais baratos na ocasião, mas em lugares ruins ou assentos separados um do outro.

A entrada para o jogo é bem organizada e dividida em vários portões, ou seja, não há tumulto e também passamos por detectores de metais e raio-X para as mochilas.

Ficamos receosos de levar a GoPro, mas era permitido desde que não estivesse no bastão (pau de selfie). Também é permitido entrar com comidas e bebidas, todas em embalagens fechadas e você verá que os espanhóis comem bastante girassol durante a partida, é o substituto do amendoim para nós.

A saída do Estádio também foi bastante tranquila, porém não podemos dizer o mesmo do metrô. Há apenas uma estação próxima e estava simplesmente impossível de entrar no acesso em frente ao Estádio.




Por isso, decidimos andar um pouco mais e acessamos o metrô por uma outra entrada mais afastada, porém bem menos tumultuada. Já havíamos comprado o ticket de várias viagens, então não perdemos tempo nas máquinas de auto-atendimento. Aliás, nem pense em comprar os tickets do metrô somente na saída do jogo!!

Os trens do metrô estavam funcionando em intervalos curtos (cerca de 2 minutos), então o desafio foi apenas para entrar na estação e logo depois conseguimos voltar para nosso apartamento sem problemas.



  • Museu do Prado:


O Museu do Prado é o mais conhecido e importante museu de Madri. Junto com o Reina Sofia e o Thyssen-Bornemisza, forma a região do triângulo dos museus.

Como não queríamos gastar muito tempo nos museus, elegemos o museu do Prado como o museu que visitaríamos em Madri, mas nos demos mal.

Nosso roteiro estava meticulosamente planejado com o horário certo para a visita ao museu em nossa última tarde na capital espanhola, porém não contamos com uma questão muito importante: era feriado em Madri!


Museu do Prado

O horário de funcionamento do museu em dias normais é das 10 às 19h, porém nos feriados o museu fecha às 17h, sendo possível entrar somente até as 16:30h. Chegamos no museu poucos minutos após o horário limite para entrada, frustando nossa expectativa de conhecer o museu mais importante da Espanha. Você já visitou o museu do Prado? Então aproveita e conta pra gente o que achou! :)


E você já foi a Madri? Está planejando sua viagem? Conte para nós a sua experiência ou deixe seu comentário se tiver qualquer dúvida.

Além disso, não deixe de acompanhar os próximos posts detalhando nossa viagem de 21 dias pela Espanha e Vamos pelo Mundo!



Booking.com

Compartilhe:

2 comentários:

  1. Vamos a Lisboa e Roma em fevereiro e ficaremos por 26 dias. Estamos com vontade de voltar a Madrid, onde já estivemos tem alguns anos e lembramos de pouca coisa. A postagem de vcs foi muito útil , pois nos lembrou de lugares que tínhamos esquecido e outros que não conhecemos. O museu do Prado é fantástico . Pena vcs não terem ido. Não é muito grande mas tem obras maravilhosas.
    Obrigada,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voltem sim! Madrid é linda e o inverno não é tão rigoroso, além de ter paisagens muito bonitas. :)
      Boa viagem!

      Excluir