Viagens passadas, presentes e futuras

Praga - Nossa última parada no Leste Europeu

Finalizando nosso relato sobre a viagem pelo Leste Europeu, vamos contar aqui como foi nossa visita à Praga, nossa última parada da viagem após Amsterdã, Budapeste, Viena e Bratislava.

Castelo de Praga visto da Ponte Carlos


Alerta de spoiler:
Havíamos lido em vários blogs que Praga seria a cidade mais encantadora entre as três capitais mais famosas do Leste Europeu (Budapeste, Viena e Praga), porém não achamos tuuudo isso que diziam, então não crie expectativas tão altas antes da viagem para se deixar surpreender pela cidade!

Pôr do sol na Ponte Carlos com o Castelo de Praga ao fundo

Importante:

A moeda utilizada em Praga é a Coroa Tcheca, então saque dinheiro em caixas automáticos se puder ou então troque o necessário de Euros (não troque muito dinheiro de uma vez porque, se precisar trocar novamente por Euros, perderá muito no câmbio). Alguns restaurantes e lojas aceitam Euros, mas a taxa de câmbio oferecida é muito desfavorável!

Praga é a capital e maior cidade da República Tcheca. A cidade é cortada pelo rio Vltava e possui um grande e bem preservado patrimônio arquitetônico e cultural, apesar de já ter sido maltratada por diversas guerras no passado.

Praça na parte antiga da cidade

Para chegar em Praga, você pode optar por avião, carro, ônibus, trem ou barco. Nós optamos por pegar um ônibus de Viena para Praga e não nos arrependemos. Pagamos 45 Euros para duas pessoas num ônibus da Eurolines, cujos bilhetes foram comprados antecipadamente pela internet. A viagem durou cerca de 3 horas e 50 minutos e o ônibus era bem confortável.

Pesquisamos muitos hotéis pelo Booking.com e escolhemos o Hotel Residence U Malvaze para nos hospedar, principalmente por sua localização excelente, praticamente em frente à ponte Carlos, e pelas boas avaliações que vimos no Booking e no TripAdvisor.

Chegando lá, constatamos que de fato o hotel tem uma localização ótima, porém a entrada é feita por dentro do restaurante que leva o mesmo nome, não possui recepção e nem elevador. Achamos isso bem estranho (bizarro!) na hora, mas deu tudo certo e um atendente simpaticamente nos ajudou a carregar as pesadas malas escada acima, até o terceiro e último andar!!

Bem, após nos acomodarmos devidamente no Hotel, partimos para conhecer os principais pontos turísticos da cidade.

Dentre as principais atrações da cidade, destacamos:

  • Castelo de Praga:
O Castelo de Praga é a principal atração da cidade mas, na verdade, não se trata "apenas" de um castelo e sim de um grande complexo de palácios, igrejas e prédios quase do tamanho de um bairro inteiro! O complexo possui pouco mais de 70 mil m², sendo considerado um dos maiores castelos do mundo, além de ser declarado Patrimônio da Humanidade.


A silhueta do castelo marca a paisagem em Praga

Para chegar ao castelo, você pode subir a colina à pé ou optar pelos eficientes bondes (trams) que ligam o castelo até os bairros. Os bondes são rápidos, baratos e, mais importante, te poupam um bom esforço! Obviamente, optamos por subir usando o bonde ... :)

Após descer do bonde, uma curta caminhada é o suficiente para chegar ao portão de entrada do castelo. Uma vez lá dentro, os principais prédios a ver/visitar são:

1. Catedral de São Vito:
É a principal construção do complexo do Castelo de Praga e é a maior igreja do país. Em função do tempo de construção (quase 600 anos) a igreja mistura diferentes elementos arquitetônicos medievais, góticos e modernos mas o resultado é incrível!



A catedral era utilizada no passado em cerimônias de coroação e cerimônias fúnebres de reis, homens nobres e religiosos e o local ainda abriga os restos mortais de alguns deles, como São Venceslau, São João Nepomuceno e o Rei Carlos IV. Além disso, a catedral ainda abriga também as jóias da coroa.

Ao entrar, não deixe de conferir a bela capela de São Venceslau, decorada com pedras semi preciosas e elementos representativos de passagens bíblicas.

2. Palácio Real:
Hoje, o Antigo Palácio Real tem uma exposição permanente sobre a história da cidade. O salão principal, Vladislav, construído no século 16, é um dos mais importantes – serviu de palco para cerimônias de coroação e até para torneios de cavaleiros.

3Convento de São Jorge:
A Basílica de São Jorge mostra, em um prédio só, a evolução da arquitetura daquela área da cidade. É a mais bem preservada igreja romanesca de Praga, datada de 920, mas ganhou uma fachada barroca 5 séculos depois – o estilo romanesco ficou só no interior. Além disso, a igreja apresenta frequentemente concertos de música clássica.

4Viela Dourada (Golden Lane):
Saindo da catedral e caminhando na direção oposta ao portão de entrada, chega-se à "Zlata Ulicka" (Golden Lane): um ponto do complexo que merece ser visitado. Nesta rua estavam localizadas as casas dos artesãos e militares que guardavam o castelo.



Foi construída no século XVI, e até hoje sua aparência é exatamente a mesma daquela época. Provavelmente vocês estranharão o tamanho da porta de entrada, mas antigamente as pessoas eram mais baixas que atualmente.

5. Jardins do Palácio:
O complexo possui um lindo jardim, com um paisagismo bem pensado e muito espaço para circular. Não vimos nenhuma pessoa fazendo piquenique no local, então não sabemos se é permitido.

Ponte Carlos vista dos jardins do Castelo de Praga

Se programe para terminar a visita aqui e apreciar um bela vista da Ponte Carlos e um entardecer mais bonito ainda.

Além dos pontos que visitamos, o complexo conta ainda com o gabinete do presidente da república Tcheca (em local não aberto à visitação pública), o monastério de São Jorge, a Galeria do castelo, a Torre de Pólvora, o Museu dos Brinquedos e o Palácio Lobkovic.
Para mais informações, visite o site do castelo.


  • Praça da Cidade Velha (Old Town Square):
É o ponto de partida do free walking tour e uma ótima referência para quem está procurando um bom lugar para ficar: quanto mais perto dessa praça, mais perto do burburinho da cidade e menos tempo demorará para chegar nas principais atrações turísticas.

Além disso, a praça ainda conta com vários bares e restaurantes que ficam abertos até tarde.


A praça tem movimento dia e noite


  • Torre do relógio:
O "Orloj" é composto por três partes principais: o mostrador astronômico, representando a posição do Sol e da Lua no céu, além de mostrar vários detalhes celestes; a ”Caminhada dos Apóstolos”, um show mecânico representado a cada troca de hora com as figuras dos apóstolos e outras esculturas com movimento; e um mostrador-calendário com medalhões representando os meses (ou zodíacos, como aparece em alguns blogs).


Relógio com seus detalhes

Segundo o nosso guia do free walking tour, o mestre-relojoeiro que fez essa obra prima teve seus olhos queimados e a sua língua cortada para que não fosse capaz de construir nenhuma réplica do relógio em outro lugar do mundo. Depois da dolorosa recuperação, ele visitou a estrutura do relógio e danificou todos os componentes que conseguiu para que o mesmo nunca mais voltasse a funcionar. Durante muitos anos ninguém conseguiu consertar os estragos no relógio, já que o mecanismo era muito avançado para a época, mas hoje felizmente ele funciona bem. :)



É comum ver em sites e blogs uma grande empolgação com o "show" do relógio, mas mantenha a expectativa controlada porque, apesar de interessante, não achamos nada demais.


  • Igreja de São Nicolas:
A igreja de São Nicolas fica na praça da cidade velha, no coração da parte mais turística de Praga. Construída em estilo barroco, a igreja oferece concertos de música clássica à noite.

Esta igreja já foi frequentada por Mozart que aproveitava para tocar o órgão em suas visitas à cidade. 


  • Ponte Carlos (Charles Bridge):
Junto com o Relógio e o Castelo de Praga, a Ponte Carlos forma o trio das atrações imperdíveis e mais famosas da capital da República Tcheca.

A empresa que citamos do free walking tour - (Sandemans) - tem um tour dedicado à essa ponte, explicando todas as esculturas presentes na mesma. Para quem tiver um pouco mais de tempo (e interesse), é uma boa pedida!

Nós com a Ponte Carlos ao fundo


  • Free walking tour:
Sempre procuramos algum walking tour nas cidades que visitamos e com Praga não poderia ser diferente. Recomendamos muito o tour do Sandeman's, que pode ser reservado diretamente no site, de graça e você conhece os principais pontos da cidade com explicações fáceis e normalmente em grupos de até 20 pessoas. Normalmente dura pouco mais de 2 horas, com uma parada para lanche. No final do tour, o guia pede uma contribuição, mas a "gorjeta" é de acordo com a sua satisfação com o serviço e não é obrigatória (apesar de todo mundo contribuir com algo).

Dependendo da cidade, eles possuem alguns tours pagos (que também podem ser agendados pelo site). Em Praga, eles divulgaram um tour dedicado à Ponte Carlos por exemplo, mas não nos interessamos porque o guia do free walking tour já havia dado uma breve explicação sobre a ponte.


  • O prédio dançante:
Essa atração turística é especialmente interessante para quem estuda algo ligado a Desenho e suas formas (arquitetura, engenharia, desenho industrial, etc). O prédio foi inspirado em uma dança, onde o homem segura gentilmente uma mulher pela cintura, daí o nome de "Prédio dançante".


Prédio dançante


  • John Lennon Wall:
É o único lugar de Praga onde as pichações são permitidas (o que não quer dizer que não existam em outros lugares!) e de tempos em tempos, o muro é pintado e "limpo" para dar espaço às novas "intervenções urbanas".

Este muro ficou famoso após ser pintado com frases de músicas dos Beatles em forma de protesto contra o governo tcheco. Desde então, se tornou um popular mural utilizado pelos jovens para manifestar seu descontentamento.

Quando fomos conhecê-lo, estava praticamente todo preenchido e tinha um grupo de jovens fazendo novos desenhos. Pelo foto abaixo, dá para ver que algum brasileiro já havia passado por aqui.


Manifestação brasileira no John Lennon Wall em Praga

  • Praça Venceslau:
Localizada no coração da parte mais nova da cidade, a cerca de 15 minutos de caminhada da Ponte Carlos, a Praça Venceslau tem cerca de 750 metros e é um importante centro cultural e comercial da cidade, tendo sido o palco de grande celebrações e manifestações populares ao longo da história do país. A praça ainda é cercada por lojas e restaurantes e está sempre cheia de turistas e moradores locais.


Praça Venceslau, vista a partir do Museu Nacional


  • Museu Nacional Tcheco:
Infelizmente, o museu nacional estava fechado quando visitamos Praga e permanecerá assim até o final das reformas, previsto para 2018. O museu fica ao final da Praça Venceslau e (dizem) conta com um acervo de obras de arte de todo o mundo. Se você já visitou este museu, aproveite para comentar aqui e nos dizer o que achou dele... :)


Museu nacional Tcheco


  • Museu do Comunismo:
A entrada do Museu do Comunismo é curiosa, pois ironicamente divide espaço com uma loja do McDonald's, mas não estranhe! Praga mistura muitos elementos contemporâneos e históricos de forma natural.

Logo na entrada do Museu, existe uma loja para venda de souveniers relacionados ao Comunismo, como camisetas, bottons e livros.

Dentro do museu há vários artefatos da época e salas que mostram a realidade do regime comunista, com roupas e algumas práticas usadas para convencer toda a sociedade de que era uma época ótima a ser vivida.

O ingresso para o museu custou 190 Coroas Tchecas por pessoa na época (maio/15) e, embora seja pequeno e não seja tão bem produzido e organizado como o Museu do Terror de Budapeste, a visita vale a pena para conhecer um pouco mais sobre a estupidez deste triste capítulo da história Tcheca e mundial.


  • Estátua de Freud pendurado:
Não se trata de um ponto turístico propriamente dito, mas de uma grande curiosidade que passa despercebida por grande parte dos turistas. Ao caminhar pela rua Husova, atente-se para o topo dos prédios e em um deles no final da rua você verá uma estátua de um homem pendurado como se estivesse se segurando para não cair.



Trata-se de uma estátua criada pelo artista David Cerny representando Sigmund Freud, pai da psicanálise. Dizem que a estátua tem como objetivo representar o medo da morte do qual Freud sofria.

Freud pendurado no topo de prédio em Praga


Mas sinta-se à vontade para encontrar a estátua e tirar suas próprias conclusões. Talvez Freud explique! :)


  • Museu do LEGO:
Se auto denomina o maior museu de LEGO da Europa. Na verdade, este "museu" ocupa os fundos de uma loja na rua Národní e apresenta centenas de construções, situações e cenas cotidianas representadas com o uso dos famosos bloquinhos de montar.Quando visitamos, havia uma seção montada em homenagem à série Star Wars! No entanto, achamos que o preço de 200 coroas Tchecas por pessoa foi salgado para o que o museu oferece.



  • Cristais Bohemia:
Para quem gosta de comprar itens para a casa, a República Tcheca é um ótimo destino! Em todo o canto você poderá encontrar taças e bibelôs em cristal Bohemia a preços bem acessíveis.

Aproveitamos a facilidade e compramos pequenas taças de cristal por menos de R$ 10,00 cada!

Com isso chegamos ao final da nossa viagem por Amsterdam e o Leste Europeu. Se você ainda não leu o relato inteiro, clique aqui para acompanhar, deixe seu comentário, aguarde os novos posts e Vamos pelo Mundo!



Booking.com

Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário