Viagens passadas, presentes e futuras

Bate-e-voltas a partir de Budapeste

No último post, contamos como foram nossos dias em Budapeste, capital da Hungria. Se você ainda não leu, leia clicando AQUI!

Budapeste já caiu no gosto de muitos viajantes que passam pelo leste europeu por sua beleza impressionante e custo relativamente baixo para uma viagem à Europa. Entretanto, a Hungria ainda guarda muitas outras surpresas que podem ser exploradas em seu interior, ainda desconhecidas da maior parte dos viajantes brasileiros.

Como tenho um amigo Húngaro, tivemos a sorte de ser apresentados a duas dessas surpresas nesta viagem que são perfeitas para um bate-e-volta de um dia a partir de Budapeste: as cidades de Visegrád e Szentendre!

Visegrád (pronuncia-se Vijagradé uma cidade localizada cerca de 1 hora ao norte de Budapeste, na região conhecida como "a curva do Danúbio". Por sua localização estratégica, a cidade foi declarada capital da Hungria em 1325 e permaneceu com esse status até a mudança da capital para a cidade de Buda em 1405. De lá pra cá muita coisa mudou, mas a cidade ainda mantém seu castelo medieval no topo da colina que oferece uma linda vista da região e do rio Danúbio.


Visegrád

Além do visual, no interior do castelo (o ingresso custou 1.400 HUF por pessoa) você pode ver objetos e roupas que contam a história do lugar ao longo dos últimos séculos. Dentre os itens em exposição, chamam a atenção armaduras medievais, uma réplica da coroa Húngara e itens dedicados à tortura e execução de presos, como este abaixo:


Item usado para execução de presos em Visegrád

Após nossa visita ao castelo de Visegrád, tomamos a estrada com destino à cidade de Szentendre, já no caminho de volta para Budapeste.

Szentendre, ou Santo André em bom português, é uma pequena cidade também a norte de Budapeste conhecida por possuir museus, galerias de arte e atelier de artistas locais. A cidade tem também bons restaurantes e, é claro, muitas lojinhas de souvenir.


Centro de Szentendre

Após passearmos e almoçarmos no charmoso centro da cidade, fomos conhecer o museu étnico a céu aberto Skanzen. Este museu criado no final do século 19 apresenta em uma área gigantesca várias construções que contam as mudanças do estilo de vida e condições de moradia da Hungria durante os últimos séculos.

O museu funciona de 9 às 17h e após as 16h a entrada é gratuita. Como chegamos um pouco antes das 16h, nos deixaram entrar sem pagar mesmo antes do horário gratuito! :)

O local é tão grande que há um pequeno trem que leva os visitantes para a área das construções.


Trem em Skanzen

Pegamos o trem para a última parada e voltamos andando para conhecer cada uma das construções.


Exemplo de uma casa construída no museu Skanzen 

Dentro de cada casa, pessoas vestidas com as roupas da respectiva época explicam como era a vida e os costumes dos habitantes. É interessante ver as mudanças na arquitetura, na organização dos cômodos e os avanços que permitiram elevar a qualidade de vida das pessoas ao longo do tempo.


Pessoas vestidas com as roupas da época contam como eram os hábitos dos moradores

Como o local é muito grande, tivemos que passar correndo por algumas construções, mas o museu permite uma verdadeira imersão nas tradições do povo húngaro por meio das construções e itens apresentados.


Cômodo usado como quarto e local de trabalho em uma casa no Skanzen

Ao final da visita, nos despedimos dos costumes húngaros e voltamos para passar nossa última noite em Budapeste antes de seguirmos viagem para Viena.

E você, já conheceu alguma dessas cidades? Conheceu outras cidades legais pelo interior da Hungria? Conte para nós!

Acompanhe os próximos posts para saber como foi esta viagem e Vamos pelo Mundo!

Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário