Viagens passadas, presentes e futuras

Cartagena de Índias - Roteiro

Como dissemos no post anterior, vamos falar sobre nosso carnaval em Cartagena de Índias!

Se você procura blocos e agito, Cartagena definitivamente não é o seu destino no Carnaval! A cidade não possuía nenhum vestígio de folia e a vida seguia normalmente (comércio aberto, preços bons e alguns poucos turistas, ou seja, nenhuma inflação devido ao feriado).

Dia 01: chegamos à noite na cidade e após longas horas de vôo (foram 6 horas de SP a Bogotá e 1:30 de Bogotá até Cartagena), só queríamos descansar.

Dia 02:
Como a parte murada não é muito grande (cerca de 15km toda a cidade), o 1o dia foi dedicado à ela e as atrações mais próximas:

  • os canhões que protegiam a cidade de invasores

  • o Museo de las Fortificaciones: na verdade, era um conjunto de corredores subterrâneos e celas onde os espanhóis guardavam os mantimentos, deixavam os presos e se deslocavam de um ponto ao outro sem serem vistos. Mas como é pequeno e barato para entrar, vale a pena ver. Além disso, por ser subterrâneo, a temperatura é bem amena dando um refresco no calorão.

  •  Estátua de Pedro Heredia, o fundador da cidade

  • Torre do relógio: é a entrada principal da muralha e o símbolo de Cartagena, portanto a parada para fotos é obrigatória (principalmente à noite quando tem uma bonita iluminação colorida).

  • Estátua da índia Catalina: apesar da estátua ficar fora da parte murada, fica bem próxima da torre do relógio. Catalina foi a indígena mais importante da Colômbia, pois se relacionou com Pedro de Heredia e depois foi catequizada, ficando famosa e influente.

  • Na parte da tarde, pegamos um passeio com a chiva (ônibus turístico e típico da região), que passa por alguns dos principais pontos turísticos da cidade.

  • Sapatos de bronze, conhecidos como "Sapatos viejos": foi a 1a parada da chiva. É uma homenagem ao poeta Luis Carlos Lopez e fica bem próximo do Castillo de San Felipe de Barajas (na foto abaixo, o castelo aparece ao fundo).


  • Castillo de San Felipe de Barajas: O castelo tinha como função proteger Cartagena de ataques estrangeiros e sua localização estratégica permitia observar possíveis inimigos vindos por terra ou mar. 


Dia 03:
Contratamos lá em Cartagena mesmo um passeio para Islas del Rosario e Playa Blanca em um grande veleiro turístico, desses com bar, banheiro, turistas e música ambiente (para o nosso desespero!).

Fica a dica: caso enjoe em barco, tome remédio, pois a viagem é longa e nosso barco balançou muito até chegarmos à primeira parada!


Após desembarcarmos em Islas del Rosario, fomos conhecer o Oceanário com várias espécies de peixes, tartarugas, tubarões, estrelas do mar e outros animais da região.




Ao fim da visita, embarcamos novamente no barco com destino à Playa Blanca, uma praia de areias brancas no mar quente e cristalino do caribe, ideal para aproveitar o dia ensolarado!

Logo ao chegarmos, fomos para um restaurante na praia. Nosso almoço já estava incluído no passeio, mas o único prato do restaurante era peixe com arroz e chips de banana frita. Então, nossa dica é: leve alguma comida, pois a praia não possuía boa infraestrutura de restaurantes e locais para comprar comida.

Depois do almoço, aproveitamos o tempo que nos restava na água para minimizar o calor! Mas atenção, use muuiito filtro solar para não acabar com o passeio!



Voltamos para Cartagena quase no final do dia e fomos presenteados com um lindo pôr do sol.




Já em Cartagena, finalizamos o dia com um belo hambúrguer no Hard Rock Café, próximo à Torre do relógio.





Dia 04:
Nosso último dia em Cartagena! Como nosso vôo era à noite, aproveitamos para conhecer as atrações que faltaram:
  • Convento Santa Cruz de La Popa: foi construído no local mais alto da cidade, de onde podemos ter uma vista linda da orla, além do interior bem florido.

  • Estátua de Botero: Dizem que dá sorte passar a mão na estátua para poder voltar para Cartagena. Pelo sim, pelo não, acatamos a tradição :)

  • Las Bóvedas: Antigamente, era usado como armazéns (por isso, tem formato de silos, com entradas estreitas e fundas), depois foi usada como prisão e atualmente é um pólo de lojas de souvenirs.


  • Almoço no restaurante Patagônia: Quando vimos a bandeira da Argentina na porta do restaurante, nem preciso dizer que o local do almoço estava escolhido. Porém, cuidado ao pedir os pratos, pois são muito bem servidos e o garçom ficou todo satisfeito quando dissemos que era muito mais comida do que podemos aguentar. E, de fato, era!


Cartagena é uma cidade pequena, porém com muitos atrativos e uma rica história. Acreditamos que 3 a 4 dias seja tempo suficiente para conhecer a cidade com calma e curtir um pouco da sua história, o que faz do carnaval um período ideal para visitar a cidade e fugir das aglomerações nas cidades brasileiras.

Gostou da postagem? Já começou a planejar seu carnaval do próximo ano? Comente e acompanhe as próximas viagens!

Booking.com

Compartilhe:

3 comentários:

  1. Adorei! As dicas são ótimas. Não gosto muito de praia, no entanto há bastante coisa o que fazer sem ser ir a praia.

    ResponderExcluir
  2. Adorei! As dicas são ótimas. Não gosto muito de praia, no entanto há bastante coisa o que fazer sem ser ir a praia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nós também não gostamos muito de praia! Sem dúvidas, essa foi uma viagem barata que valeu muito a pena! :)

      Excluir