Viagens passadas, presentes e futuras

Amsterdam

Como dissemos na postagem anterior (leia AQUI), estivemos em Amsterdam (ou Amsterdã, como queiram) em Maio de 2015, em plena primavera, época ideal para ver os campos floridos de tulipas.

Muitas vezes, Amsterdam é estigmatizada por permitir o consumo de maconha nos coffeeshops e por tolerar a prostituição explícita no bairro da luz vermelha (red light district). Porém, se essa é a sua imagem de Amsterdam, esqueça completamente!!!

"I Amsterdam"

Amsterdam é a maior cidade e a capital da Holanda (embora a sede do governo fique em Haia). O nome da cidade faz referência ao dique ("Dam") construído no rio Amstel e, talvez por isso, a relação da cidade com seus canais seja tão íntima.

De fato, os canais de Amsterdam estão entre as maiores atrações da cidade e você certamente cruzará muitos deles em sua viagem. Da mesma forma, você perceberá que as bicicletas fazem parte da vida e da paisagem da cidade.


Canal em Amsterdam

Chegamos em Amsterdam no dia 02 de maio, um sábado pela manhã. Após desembarcarmos no excelente aeroporto Schipol, pegamos o trem no próprio aeroporto para chegar à estação central de Amsterdam por 5,85 Euros para cada um.

Saindo da estação central, compramos o passe de transporte válido por 72 horas por 16,50 Euros cada e pegamos o tram (bonde) para o nosso Hotel. Tudo muito fácil e civilizado.

Os principais pontos turísticos estão concentrados no centro da cidade. Dessa forma, a melhor forma de se locomover por Amsterdam é a pé, de bicicleta ou usando os trams.

Ficamos no Hotel Mercure Amsterdam Centre Canal District, que fica em uma rua super tranquila, porém próximo das principais atrações da cidade. Chegamos um pouco mais cedo do que o horário de check-in no Hotel, porém eles nos deixaram fazer o check-in sem problemas e sem nenhum custo adicional.

Após deixarmos as malas no Hotel, fomos direto para a praça Dam, de onde começamos a explorar a cidade. Confira abaixo as principais atrações:

Sandeman's Free Walking Tour
Como diz o nome, trata-se de um city tour a pé e de graça pelo centro de Amsterdam. Para se juntar ao grupo você não precisa pagar absolutamente nada, basta estar no ponto de encontro no horário marcado. Finalizado o tour, você dá gorjetas ao guia se quiser e se gostar das informações passadas por ele.


Free Walking Tour

O city tour dura cerca de 3 horas, passa por algumas das principais atrações da região central, incluindo o famoso red light district, e fornece muitas informações interessantes sobre a cidade.


Red light district

Você pode simplesmente aparecer no ponto de encontro ou agendar previamente no site www.newamsterdamtours.com, onde há mais informações sobre o passeio. É um excelente começo para uma viagem pela cidade.


Cruzeiro pelos canais

Amsterdam possui mais de 100km de canais (tem mais canais que Veneza!) e seus principais canais foram declarados patrimônio da humanidade pela UNESCO. Dessa forma, um cruzeiro por esses canais é interessantíssimo para ver a cidade e seus monumentos por outros ângulos e conhecer um pouco mais sobre a história e a importância dos canais no desenvolvimento da cidade.


Cruzeiro pelos canais

Nós fizemos o passeio pela empresa Gray Line (16 Euros cada) com duração aproximada de 1 hora, mas existem diversas outras opções saindo de pontos diferentes do centro da cidade. Escolha um deles, mas não deixe de fazer.


Rijksmuseum
Amsterdam é famosa por possuir muitos museus e na nossa opinião o Riksmuseum foi o melhor dos que visitamos. O museu fica num imponente prédio recém reformado na praça dos museus e possui um vasto acervo dedicado às artes e história da Holanda e do mundo. Lá você poderá ver pinturas famosas de artistas como Rembrandt, Van Gogh e outros. Vale a pena reservar meio dia para a visita ao museu.

O museu é visita obrigatória para quem vai a Amsterdam e, em função das longas filas, é melhor comprar os ingressos antecipadamente na página do museu (clique AQUI). Nós compramos os ingressos antecipadamente por 17,50 Euros cada e valeu a pena. Dessa forma, você evita a fila da bilheteria, mas infelizmente não consegue escapar das filas da entrada, uma vez que muitas pessoas compram o ingresso fast pass... :(


Rijksmuseum

Além disso, é em frente ao Rijksmuseum que fica o famoso letreiro com a inscrição "I Amsterdam", outra parada certa para as fotos turísticas como a nossa foto do início desse post ... :)


Museu Van Gogh
O museu fica a alguns metros do Rijksmuseum na praça dos museus. Os amantes de arte que me desculpem, mas o Museu Van Gogh é uma furada! Ao contrário do Rijksmuseum, não compramos as entradas antes da viagem. Compramos, já em Amsterdam, o ingresso fast pass (17,50 Euros cada) para evitar as grandes filas, mas o fast pass na verdade só te dá a chance de pagar mais para entrar em uma fila um pouco mais rápida. Ficamos cerca de 1 hora no sol em uma fila extremamente desorganizada para conseguir entrar e em 1 hora e meia vimos o museu inteiro.

Uma vez lá dentro, o museu apresenta em 3 pequenos andares diversas obras de Vincent Van Gogh agrupadas de acordo com as distintas fases de sua vida. Para quem é um grande admirador de Van Gogh, o museu deve ser formidável, mas para nós o tempo na fila não foi compensado pela exposição.


Museu Van Gogh

Se você quiser visitar o museu, sugiro pelo menos que não faça o mesmo que nós e reserve seu ingresso no site do museu antecipadamente com horário marcado (AQUI).


Casa de Anne Frank
Um pouco mais afastada das principais atrações da cidade, próxima ao bairro Jordaan, fica a casa onde Anne Frank escreveu seu famoso diário enquanto ela e sua família viviam escondidas durante a ocupação nazista na segunda guerra mundial. Transformada em museu, a casa é outra atração imperdível em Amsterdam e apresenta documentos históricos, depoimentos e mostra os aposentos onde os judeus permaneceram enclausurados até que fossem descobertos pelos nazistas.

Compramos os ingressos na hora por 9 Euros cada e ficamos cerca de 2 horas no museu, mas sugiro que você compre os ingressos com MUITA antecedência no site www.annefrank.org/pt/ caso não queira esperar pelo menos uma hora na fila.


Bairro Jordaan
Perto do centro, o bairro Jordaan é o bairro mais descolado da cidade e tem uma grande concentração de cafés, bares e bons restaurantes, ideal para um passeio pelas ruas tranquilas e para fugir do tumulto do centro.

Bairro Jordaan



Museu de cera Madame Tussaud
Próximo à praça Dam, bem no coração da cidade, funciona a filial holandesa do famoso museu de cera inglês. Menor que a unidade londrina, o museu apresenta bonecos de celebridades de todo o mundo, garantindo a diversão da multidão que se aglomera para tentar tirar fotos com todos os bonecos.


Melhor jogador do mundo ao lado de uma estátua de Messi :)

Apesar de render algumas fotos divertidas, achamos que alguns bonecos estavam muito antigos e sem a conservação adequada. Na nossa opinião, este museu não é uma atração imperdível na cidade e você só deve ir se realmente tiver tempo sobrando. Compramos ingressos na hora (18,50 Euros cada), sem fila nenhuma, mas se quiser comprar ingressos antecipados visite o site do museu em https://www2.madametussauds.com/amsterdam/en/.


Além das atrações descritas acima, durante nossa estada em Amsterdam ainda visitamos o parque Keukenhof, que possui o maior jardim de tulipas do mundo. O parque é fantástico e fica aberto somente durante 8 semanas por ano. Se você estiver planejando uma viagem no período de março a maio, a visita ao Keukenhof é extremamente recomendada.




Como gostamos muito do parque Keukenhof, vamos falar melhor sobre ele em uma postagem separada. Então não deixe de conferir as próximas postagens, comente aqui no blog e Vamos pelo Mundo!  


Booking.com

Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário